Moxabustão – O tratamento pelo fogo

moxibustion4A moxabustão foi gradualmente criada após a descoberta e uso do fogo. No início, o homem primitivo descobriu que aquecer-se pelo fogo pode aliviar ou parar a dor fria de uma parte do corpo. Assim, eles vieram a saber como usar pedras quentes queimadas ou areia embrulhada em pele ou casca de animais para tratar doenças através da compressão quente local. Com base nisso, as pessoas gradualmente aperfeiçoaram a técnica, usando galhos ou feno inflamados para aquecer a parte doente do corpo. Esta é a moxabustão mais primitiva. Depois, as pessoas selecionaram folhas de moxa como material de moxabustão pela prática repetida. A ciência da acupuntura e moxabustão experimentou um curso ininterrupto de desenvolvimento. No período dos Reinos Combatentes (as dinastias chinesas), médicos antigos usavam amplamente a acupuntura e a moxabustão para tratar doenças.

De história milenar, originária do norte da China, moxabustão – 灸 – jiŭ (pinyin) significa, literalmente, “longo tempo de aplicação do fogo”, é uma espécie de acupuntura térmica, feita pela combustão da erva Artemisia sinensis e Artemisia vulgaris.

É uma técnica terapêutica da Medicina Tradicional Chinesa. Baseia-se nos mesmos princípios e conhecimento dos meridianos de energia trabalhados na acupuntura, sendo amplamente utilizada nos sistemas de medicina da China, Japão, Coreia, Vietnã, Tibete e Mongólia. Acredita-se que seja anterior a Acupuntura.

A palavra “moxa” vem do Japonês Mogusa (艾) (o u não é pronunciado com força). Yomogi (蓬) é outra palavra que designa esta técnica no Japão.
Em chinês é utilizado o mesmo ideograma (艾), que em chinês se pronuncia ài. Também é utilizado o termo àiróng (艾絨), que significa “veludo de ài”.
O ideograma chinês para moxabustão compõe metade da palavra chinesa zhēnjiǔ, ou japonesa “shinkyu” (針灸), que é geralmente traduzida como “acupuntura” no ocidente.

Separei um artigo sobre Moxabustão publicado por Ray Ford na revista WellBeing Magazine Article que fala muito bem sobre a moxa.Moxabustion2


Moxabustão por Ray Ford

Usar o calor para aliviar a dor e desconforto no corpo é um dos mais antigos tipos de tratamento inventados pela humanidade, e ainda é amplamente usado hoje em muitas formas diferentes de medicina.

A moxabustão, que envolve aquecer o corpo com uma erva ardente, é parte integrante da medicina chinesa. A acupuntura é conhecida na China como Zhen-Jiu (agulha moxa): este termo é uma indicação da estreita relação entre os dois métodos de tratamento.
O termo moxabustão é retirado da frase japonesa moe kusa, que significa erva ardente.

Na China, há evidências de técnicas precoces de cauterização, pedras aquecidas (pedras de Bian) foram aplicadas em combinação com procedimentos de agulhamento desde 10.000 anos atrás. Vários outros materiais foram usados ​​para aplicar calor, incluindo folhas secas, galhos, carvão e enxofre. As folhas secas da artemísia vulgaris (artemísia, absinto chinês) tornaram-se as mais populares por causa de sua proliferação generalizada na China e porque a queima produz um calor constante.

Pesquisas modernas sobre os efeitos da moxa, especialmente no Japão, mostram que o sistema imunológico pode ser significativamente aumentado pela terapia de moxabustão. Há alguma discussão sobre se apenas o aquecimento dos pontos de acupuntura aumenta o sistema imunológico, ou se a erva em chamas contém propriedades que estimulam os mecanismos de cura do corpo.

Embora existam muitas maneiras de usar moxabustão, na Austrália, o mais comumente usado é chamado de moxabustão indireta. Isso envolve o aquecimento de pontos de acupuntura ou áreas maiores do corpo com uma preparação de moxa, que às vezes é usada em combinação com a acupuntura. A preparação de moxa pode ser feita de folhas secas de Artemisia vulgaris em pequenos cones ou varas de moxa maiores ou, como é comum no Japão, moxa de madeira solta.Moxibustion0Os bastões Moxa são bem usados em clínica e são amplamente utilizados na Austrália. Uma vez aceso, o bastão queima lentamente a uma temperatura uniforme e é usado pelo Acupunturista para criar calor nos pontos do corpo, de acordo com a desordem a ser tratada. O paciente diz ao Acupunturista quando o calor está se tornando muito forte então o Acupunturista afasta o bastão do corpo por alguns segundos antes de voltar a aquecer a área novamente. Este processo pode ser repetido até que o efeito desejado seja obtido.

Quando o paciente se sente confortável com essa técnica, torna-se extremamente relaxante: muitas vezes, ele pode sentir calor no interior do corpo, mesmo que apenas um leve calor esteja sendo aplicado à pele. Alguns pacientes sentem um formigamento pelo corpo, ou um movimento significativo de energia dentro deles, e a maioria dos pacientes desfruta de uma sensação de calma e calor.

A estimulação dos pontos de acupuntura usando calor não cria apenas uma sensação de relaxamento, mas aumenta também o suprimento de sangue para uma área. Isso pode limpar os bloqueios dentro dos meridianos, expulsar as energias frias do corpo e promover um relaxamento mais profundo dos vasos e músculos, o que permite que os mecanismos naturais de cura do corpo floresçam.

Os Acupunturistas também podem usar a moxa de lã, que é enrolada em pedaços de tamanho muito pequeno, colocados em pontos de Acupuntura e depois acesos. Como ela queima muito rapidamente, o Acupunturista deve remover a moxa em chamas pouco antes de tocar a pele. O procedimento é repetido várias vezes. Essa técnica é muito eficaz na prática, porque a moxa é focada em um ponto específico e não em uma área geral. Pode estimular um ponto específico de acupuntura ou meridiano, ajudando a reequilibrar a energia, e é eficaz para ativar a energia bloqueada ou estagnada no corpo.Moxabustion1Uma caixa de moxa pode ser colocada no corpo (nas costas ou no abdômen) para tratamentos mais longos. Uma pequena caixa de madeira (15cm x 13cm x 9cm) com uma grade fixada no interior é colocada na área a ser tratada, e depois a lã ou bastões de moxa são acesos na grade. Uma tampa é então colocada no topo da caixa. A temperatura pode ser regulada abrindo ou fechando a tampa para permitir que menos ou mais oxigênio atinja a moxa em chamas. Este sistema é muito seguro e permite ao profissional colocar a caixa diretamente sobre agulhas de acupuntura e trabalhar em outras áreas ao mesmo tempo.

Moxabustion5Embora na medicina chinesa a moxabustão seja considerada um método yang, na medida em que trata problemas do tipo frio ou yin, ela também pode ser usada para tratar sintomas de calor. Às vezes, os pacientes têm muito yang ou calor na parte superior do corpo, e isso pode ser equilibrado com o uso da moxa nas extremidades, especialmente nas pernas e nos pés. Além disso, de acordo com a Acupuntura na teoria dos Cinco Elementos, que vê o corpo como um equilíbrio íntimo entre os elementos universais do fogo, terra, metal, água e madeira, pontos de água podem ser fortalecidos no corpo para ajudar a reduzir os sintomas de calor, como calor no fígado. A experiência e compreensão deste sistema permite que o profissional selecione este tipo de tratamento quando for apropriado.

Geralmente, se a pele já estiver inflamada, a moxabustão é contraindicada. No entanto, em alguns casos, a inflamação é reduzida pela moxabustão, como a sinusite, onde as membranas mucosas inflamadas causam dor e irritação. O aquecimento da moxa nesses casos produz um excelente alívio sintomático, enquanto a acupuntura ou as ervas podem tratar as causas mais profundas. A moxabustão combinada com a acupuntura é extremamente eficaz no alívio de certos tipos de dores relacionadas ao pescoço, costas, menstruação, digestão e artrite ou reumatismo. Essas queixas respondem ao tratamento com moxabustão e acupuntura porque a dor às vezes é resultado de um bloqueio e o uso repetido de moxa pode ajudar a eliminar esse bloqueio e aumentar a energia vital e o sangue para a área. Em alguns casos, o Acupunturista pode desejar acessar níveis mais profundos de energia para remover bloqueios em áreas como os grandes músculos da parte inferior das costas. Depois de inserir agulhas de acupuntura nos músculos, pedaços de moxa são colocados nas agulhas e acesos. Este procedimento ajuda a direcionar o calor para os músculos para aliviar os espasmos. Com tratamentos regulares, os músculos começam a se soltar e, à medida que a circulação normal retorna à área, a dor associada pode desaparecer.

Moxabustão também tem sido bem sucedida no alívio da asma, sinusite, alergias, menstruação irregular e/ou dolorosa, artrite, problemas digestivos e cansaço crônico. Um efeito incomum, mas bem documentado, que a moxabustão pode produzir, é corrigir a posição de um bebê no útero. Ao tratar um ponto de acesso no dedo do pé com a moxa, o bebê pode gradualmente virar para a posição correta de “cabeça baixa”, pronto para o nascimento.moxibustion5Embora a moxabustão seja uma técnica antiga, ainda hoje é muito relevante no tratamento de muitos distúrbios. Ao ajudar a criar uma profunda sensação de calma e relaxamento no corpo, a moxabustão revigora nossos mecanismos de cura, promovendo a boa saúde e o bem-estar geral.


Além desse artigo temos também um Guideline (linha guia) que foi publicada em 2006 por Debra Betts em O Guia essencial para Acupuntura na Gravidez e Parto (Essential guide to Acupuncture in Pregnancy and Childbirth), sobre moxabustão, o Guideline é como uma linha que direciona a forma de tratamento, como uma generalização, não que seja regra, mas como o próprio nome diz, um guia para usar a Moxa e como realizar tratamentos.


Guideline para o uso da Moxa

Terapia de Moxabustão

A Moxa é uma planta (Artemisia argyi Folium) que é usada como fonte de calor para estimular os pontos de acupuntura. Embora a acupuntura seja mais conhecida no Ocidente, a moxabustão também tem sido usada em tratamentos tradicionais há mais de 2000 anos na China e é na verdade a segunda parte do nome da acupuntura na língua chinesa (zhen jiu, literalmente “agulha moxa”).

A moxa mais comum usada como parte do tratamento é na forma de um bastão de moxa e foi comprimida em um rolo de charuto que a torna ideal para uso em casa. Antes de usar o moxa, você precisará preparar o seguinte:

  • Um isqueiro ou caixa de fósforo
  • Uma pequena placa de cerâmica ou vidro para colocar cinzas que possam formar-se no bastão de moxa durante o tratamento
  • Uma pequena toalha para colocar sob a área a ser tratada em caso de queda das cinzas
  • Um frasco com tampa de vidro para apagar moxa quando o tratamento estiver concluído, hoje se usa muito o “apagador de moxa”

Moxabustion6

Como usar o bastão de moxa

Basta acender uma extremidade com um isqueiro ou fósforo. Quando o bastão estiver aceso corretamente, você poderá segurar a extremidade iluminada a dois ou três centímetros da parte de trás da sua mão e sentir um agradável calor irradiante. Segure a ponta acesa do bastão sobre a área a ser tratada, mantendo uma distância de pelo menos dois a três centímetros para que nunca haja contato direto com a pele.

O bastão de moxa é então movido lentamente sobre a área a ser tratada, isto começará a produzir um calor muito agradável.

  • Ao usar para virar no útero o bebê mal posicionado posteriormente, o tempo terapêutico para o uso de moxa é de 20 minutos em cada lado. Durante esse tempo, a moxa é rapidamente retirada do ponto Zhiyin B67 cada vez que fica quente antes de retomar o tratamento (a técnica de bicar)
  • Quando usado para tratar outros pontos de acupuntura, o bastão de moxa pode ser aplicado por cinco a sete minutos sobre cada ponto ou até que a área comece a ficar desconfortavelmente quente

Qualquer cinza que se forme na extremidade do bastão pode ser suavemente removida usando a borda do pequeno prato, de forma que o bastão de moxa permaneça quente. Se você suspeitar que não há mais calor saindo do bastão de moxa, verifique segurando a dois ou três centímetros de distância da parte de trás da sua mão. Reajuste se não houver um calor radiante.

Nunca toque na extremidade iluminada de um bastão de moxa, mesmo que ele não pareça mais estar brilhando.

Quando terminar o tratamento, coloque o bastão em um frasco de vidro com a tampa aparafusada firmemente ou coloque a extremidade acesa em um suporte de vela para que o bastão de moxa seja privado de oxigênio e assim não continue queimando.

Terapia Su Jok

Este foi um artigo publicado em 2016 pela Dr. Carmen Rosa Chelala Friman no Int. Arístides Salvador Legrá Chelala, onde ela fala sobre as generalizações da Terapia Su Jok, um tipo de Acupuntura nos dedos, onde pode ser usada agulhas ou não.
Como digo aos meus pacientes a mão é considerada um microssistema do corpo, assim como a orelha, os pés e a cabeça. O abdome, o pescoço e a iris também possuem certas referencias a partes do corpo, o que podemos perceber é que o corpo é um conjunto, assim considero particularmente, um erro quando estudado apenas como partes desmontadas de uma máquina.
Segue o artigo da Dr. Rosa.

Terapia Su Jok Generalidades

o

Em Coreano Mão significa Su e Pé significa Jok. Nossa mão tem uma aparência com todo o nosso corpo e podemos realizar tratamentos por aplicação de pressão em zona afetadas correspondente.

Mãos e pés tem muita semelhança com o corpo humano, a semelhança maior é das mãos, onde há um sistema predefinido. A terapia Su Jok tem uma grande importância e é um sistema de tratamento muito eficaz.

Sistema de Correspondência das mãos

As mãos tem uma aparência com nossa estrutura corporal. O corpo tem 5 apêndices: 4 extremidades e a cabeça, a mãos tem 5 apêndices, os dedos. Se estamos de pé, 4 extremidades apontam para baixo e um para cima, a cabeça aponta em um sentido diferente. A mão, ao abrir, 4 dedos apontam para baixo e o polegar para cima. As 4 extremidades tem 3 segmentos, por exemplo, coxa, perna e pé, os dedos representam essas extremidades tem 3 segmentos, as falanges proximal, medial e distal, e o polegar, que representa a cabeça e o pescoço, tem também 2 segmentos, as falanges proximal e distal.

Protuberâncias similares

No corpo há cinco protuberâncias, que são: cabeça (pescoço), membro superior direito e esquerdo e membro inferior direito e esquerdo. Na mão por sua vez há cinco dedos salientes entorno da palma da mão.

SuJok1
Fonte: Livro sobre Terapia Su Jok. Professor Dr.Park Jae Woo

Semelhança de acordo com o nível de localização das partes protuberantes.
Na parte superior do corpo humano se situa a cabeça, e na parte inferior as pernas e os braços se encontram entre eles. Na posição natural da mão o polegar está na parte mais alta, e na parte mais baixa estão o anular e o médio, enquanto o dedo indicador e o dedo mínimo se encontram entre eles.

SuJok2
Fonte: Livro sobre Terapia Su Jok. Professor Dr.Park Jae Woo

Semelhança de acordo com as direções das partes protuberantes.
A cabeça está orientada para cima, para o céu, os braços e as pernas são paralelos e estão orientados para baixo, para a terra. E na posição natural da mão, a direção do polegar se diferencia da direção dos outros dedos.

SuJok3
Fonte: Livro sobre Terapia Su Jok. Professor Dr.Park Jae Woo

Semelhança com as proporções das dimensões das partes protuberantes.
A cabeça é a parte mais curta e mais larga que as outras partes do corpo, as pernas são as mais largas, e os braços são os médios. O polegar é o dedo mais curto e mais largo em comparação com os demais, e o médio e o anular são os mais largos, e o indicador e o mínimo são os medianos.

SuJok4
Fonte: Livro sobre Terapia Su Jok. Professor Dr.Park Jae Woo

Semelhança com a quantidade de segmentos das partes protuberantes
A cabeça consta de duas partes: A cabeça propriamente dita e o pescoço. Os braços e as pernas constam de três parte divididas pelas articulações: braço, antebraço, mão, coxa, perna e pé. O polegar possui duas falanges, os outros dedos possuem três falanges divididos por articulações.

SuJok5
Fonte: Livro sobre Terapia Su Jok. Professor Dr.Park Jae Woo

Semelhança ao polegar e a cabeça.
O polegar é similar a cabeça bem mais que qualquer outro dedo.

SuJok6
Fonte: Livro sobre Terapia Su Jok. Professor Dr.Park Jae Woo

Vantagens da técnica de holograma Su Jok

  • Pode ser utilizado como método de diagnóstico e terapêutico
  • É de fácil aprendizado por sua forma em analogia para aplicação
  • Não é necessário aprender e memorizar os pontos como na Acupuntura
  • Alta eficiência
  • Se a terapia for aplicada adequadamente, muitas vezes o efeito em minutos, e as vezes em segundos
  • Segurança absoluta

Este sistema não é obra de um homem, mas sim, fruto da mesma natureza, o homem apenas descobriu o seu efeito, e nele reside a sua força e sua segurança. A estimulação dos pontos correspondentes produz um efeito curativo. O uso indevido nunca prejudicará ninguém, simplesmente não dará resultado nenhum.
Com a ajuda da terapia Su Jok podemos tratar qualquer parte do corpo humano, qualquer órgão, assim como qualquer articulação.
Suas mãos e seus conhecimentos sempre serão seus, sempre estará ao alcance de objetos para tratar. Até hoje não existe método algum de tratamento tão fácil a ser dominado, nem tão pouco a possibilidade de obter resultados tão rápidos e eficientes.
Pode ser aplicado pelo próprio paciente em sua casa, sendo um método muito econômico e efetivo de terapia, sua efetividade é percebida desde a primeira sessão.
A terapia de holograma ou técnica Su Jok, é um método simples e prático de diagnóstico e tratamento em afecções agudas e crônicas da parte locomotora e outros sistemas.
A base da terapia consiste em localizar adequadamente o ponto de analogia da zona enferma, na área da mão, e estimular corretamente o ponto.
Está ao alcance de qualquer sistema de saúde e de acesso a atenção primária de saúde.
Não precisa decorar pontos, somente saber localizar a zona analógica e localizar o ponto de maior dor.
Tem a grande vantagem que é o próprio organismo mediante seu sistema de defesa que resolve o problema, sem recorrer, a maior parte das vezes, a medicamentos e outras formas de terapia.
O exito da terapia depende, fundamentalmente, de dois fatores: localização adequada e estimulação eficaz.

Auriculoterapia

 

auriculo

Demoramos de falar nesse assunto e nem tinha notado, até uma leitora que acompanha nossas matérias pedir que falássemos algo sobre a auriculoterapia ou terapia auricular, irei dedicar mais uma matéria ou duas sobre o assunto, já falamos sobre um artigo, iremos falar sobre outros.
Devido a facilidade e certa simplicidade em usar a técnica de acupuntura auricular, tem gerado um grande número de adeptos na área, seja tratando apenas com sementes ou sementes e agulhas, enfim, muitas pessoas estão sendo surpreendidas com essa técnica chinesa maravilhosa (mesmo que sintomático).

Terapia Auricular

A Auriculoterapia é uma variante da Acupuntura, na qual puncionamos pontos na orelha para a prevenção e tratamento de enfermidades. Existem registro destes pontos no livro Neijing e em outros documentos médicos das dinastias subsequentes. Este método foi usado pelo povo chinês durante muitos anos. Depois da Libertação, os médicos chineses haviam herdado e desenvolvido sua medicina tradicional e investigado os avanços científicos do exterior afim de conquistar uma compreensão final sobre a auriculopuntura. Hoje este método está dando grande resultados graças a prática e a sua sintetização.

Relações entre a orelha e os canais, colaterais e órgãos zangfu

A medicina tradicional chinesa considera que a orelha não é um órgão isolado, mas sim um órgão que tem intima relação com os canais, colaterais e órgãos zangfu. O Neijing diz que o qi e xue dos doze canais e seus 365 colaterais ascendem pela face e para o cérebro e suas ramificações chegam até a orelha mantendo assim a função auditiva normal. Assim foi estabelecido a relação entre a orelha e os canais e colaterais. Os seis canais yang entram ou chegam ao redor da orelha, por exemplo, o Canal do Intestino Delgado Taiyang da Mão, o Canal do Intestino Grosso Yangming da Mão, o Canal do Sanjiao Shaoyang da Mão e o Canal da Vesícula Biliar Shaoyang do Pé entram no ouvido, porém o Canal do Estômago Yangming do Pé e o Canal da Bexiga Taiyang do Pé passam pela região periauricular. Os seis canais yin conectam indiretamente com a orelha por meios das ramificações dos 12 canais. Dos canais extraordinários, o Canal Yangqiao e o Canal Yinqiao se reúnem atrás da orelha e o Canal Yangwei passa acima da orelha. Por tanto, o Neijing diz que a orelha é o lugar onde convergem os canais e colaterais.

Auriculo 2

Nos documentos médicos antigos também se encontram várias notas sobre a relação entre o ouvido e os órgãos zangfu. Por exemplo, no Neijing fala que o qi do Rim está em relação com o ouvido. Somente quando o qi do Rim é suficiente, a função auditiva é normal, quando o jing (essência) do rim e a medula do cérebro são deficientes, dão origem tontura, tinnitus (zumbido), etc. A partir disso entendemos que o ouvido está relacionado também com os órgãos zangfu fisiopatológicamente.

Em condições normais, a função fisiológica de várias partes do corpo se mantem em uma posição de equilíbrio e de coordenação relativa. Quando se perdem o equilíbrio e a coordenação, ocorrendo a obstrução dos canais, começam a apresentar algumas reações nas zonas correspondentes da orelha. Clinicamente, quando alguma parte do corpo sofre um transtorno, podemos curar com a auriculopuntura em certos pontos, correspondentes para promover a circulação de qi e xue, nos canais e colaterais e regular a função dos órgãos zangfu.

Nomeclatura anatômica da superfície auricular

A orelha está composta por uma lâmina fibrocartilaginosa, os tecidos conjuntivos ricamente inervados. Os nervos principais são: nervo auricular maior e nervo occipital menor provenientes da segunda e terceira vértebra cervical, a ramificação auriculotemporal do nervo trigêmeo, a ramificação aurículo-posterior do nervo facial e a ramificação dos nervos vagos e glossofaríngeo.

Nomenclatura anatômica (Fig 1)

Orelha

 

  1. Hélice
    Parte que é uma proeminência semicircular que forma a borda superior
  2. Cruz da hélice
    Extremo inferior anterior da hélice, uma proeminência horizontal
  3. Tubérculo auricular ou Tubérculo de Darwin
    Eminência pequena na parte posterior superior da hélice
  4. Raiz ou cauda da hélice
    O extremo inferior da hélice, na união da hélice com o lóbulo da orelha
  5. Anti-hélice
    Eminência de cartilagem curvilínea proeminente da orelha, que fica no espaço que separa a hélice da fossa auricular e se bifurca em ramos inferior e superior.
  6. Fossa triangular
    Depressão entre os ramos inferior e superior da anti-hélice
  7. Fossa escafóide
    Uma depressão entre a hélice e a anti-hélice
  8. Trago ou tragus
    Eminência cartilaginosa curva e proeminente a frente  do orifício do conduto auditivo externo
  9. Incisura anterior do trago (supratrago)
    Depressão formada pela hélice e a borda superior do trago
  10. Antitrago
    Uma pequena proeminência oposta ao trago e inferior a anti-hélice
  11. Incisura inter-tragiana
    Depressão formada pelo trago e anti-trago
  12. Fossa do anti-trago
    Depressão entre o anti-trago e anti-hélice
  13. Lóbulo da orelha
    Porção muscular inferior da orelha (onde não há cartilagem)
  14. Concha cimba ou cymba
    Porção superior da concha da orelha acima da cruz da hélice
  15. Concha cava
    Porção inferior da concha da orelha, inferior a cruz da hélice
  16. Orifício do conduto auditivo externo
    Saída da concha cava que é coberta pelo trago (não coloquei na imagem)

Pontos da auriculopuntura

Os pontos auriculares são pontos específicos para tratar enfermidades por meio de sua estimulação. Quando algum dos zang-fu ou alguma parte do corpo sugere um transtorno, as parte correspondentes da orelha aparecem reações como dor, mudanças morfológicas e de cor, variações da resistência elétrica. Podemos ter esses fenômenos como referência no diagnóstico e aplicar o estímulo nestes pontos sensíveis para a prevenção e tratamento da enfermidade. Estes pontos sensíveis denominamos pontos dolorosos a pressão, pontos de maior condutividade ou pontos sensíveis.

As diferentes regiões do corpo encontramos em certas áreas da orelha. Geralmente o lóbulo corresponde a cabeça e a bochecha, a fossa escafoide corresponde as extremidades superiores, a anti-hélice e suas ramificações superior e inferior as extremidades inferiores e ao tronco, a concha cimba e a concha cava corresponde as vísceras. Demonstrado na figura 2.

 

mapaauriculoclssicoccc-12
Figura 2

Nota

A auriculoterapia possui várias escolas, embora todas partindo da chinesa, algumas escolas mudaram alguns pontos ou acrescentaram outros. Assim pode ser que você ache outros mapas auriculares com pontos em locais diferentes e com diversos pontos com nomes de doenças ou com partes bastante específicas do corpo nas partes que estão em branco na escola chinesa.

Vale lembrar também que os métodos de diagnóstico e tratamento da auriculoterapia pode diferenciar e muito (o que justifica a busca por outros pontos). Por exemplo, se usamos a auriculoterapia baseado nas teorias chinesas (no tripé Yin-Yang / Zang-fu / cinco movimentos ou elementos) o diagnóstico e tratamento é muito mais profundo e não necessitando de uso de tantos pontos, o que é bom para o paciente e para o acupunturista, já no caso mais disseminado nos cursos hoje são por pontos e patologias gerais e locais, sendo assim precisa-se de mais pontos para tratar os locais específicos. Assim conseguimos saber quem trata mais holisticamente, ou seja no todo a nível sistêmico, e quem é mais material, local ou sintomático.

Linhas gerais das propriedades terapêuticas dos pontos dos 14 canais

As propriedades terapêuticas dos pontos dos 14 canais se sintetizam de acordo com o princípio “o ponto dos canais podem tratar as enfermidades locais por onde passam os canais”.

imgrc0073126210

As propriedades terapêuticas dos pontos dos 14 canais se sintetizam de acordo com o princípio “o ponto dos canais podem tratar as enfermidades locais por onde passam os canais”. Os pontos que passam pelo mesmo canal tem propriedades similares. Por exemplo, todos os pontos do canal do Pulmão Taiyin da mão podem servir para o tratamento de transtornos do pulmão e da garganta, todos os pontos do canal do Estômago Yangming do pé podem servir para tratar os transtornos do sistema gastrointestinal, da face e da cabeça.

As propriedades terapêuticas dos pontos se baseiam em sua localização. Os pontos localizados nas extremidades podem tratar os transtornos dos membros superiores e inferiores e também das zonas distais por onde passam os canais a que pertencem os pontos. Os pontos que estão na cabeça, na face e no tronco podem tratar transtornos destas áreas incluindo os transtornos dos órgão zangfu. Por exemplo, o ponto hegu (IG 4) do Canal do Intestino Grosso Yangming da mão, localizado na mão, são usados para o tratamento de transtornos da mão e do braço, e também os transtornos da face e da cabeça por onde passa o canal ao qual pertence, enquanto o ponto yingxiang (IG 20) do mesmo canal, localizado na face, está principalmente indicado para transtornos da face e do nariz. O ponto zusanli (E 36) do Canal do Estômago Yangming do Pé, que está na perna, não somente pode tratar os transtornos das extremidades inferiores como também as enfermidades do sistema gastrointestinal, da face e da cabeça, locais por onde passa o trajeto do canal. O ponto tianshu (E 25) do mesmo canal localizado no abdome é usado principalmente para tratar os transtornos do abdome, como por exemplo dor abdominal e diarreia.

1
Indicação dos pontos que estão sobre os canais yin e yang da mão
2
Indicação dos pontos que estão sobre os canais yin e yang do pé

Não só os pontos do mesmo canal possuem indicações comuns, também os pontos dos três canais yin ou os três canais yang tem propriedades terapêuticas similares. Por exemplo, os pontos dos três canais yin são indicados para transtornos do tórax enquanto os pontos dos três canais yang são usados para enfermidades da cabeça.

As propriedades terapêuticas dos pontos que estão na cabeça, face e tronco podem ser conhecidas por sua localização e pelos órgãos que cercam tais pontos. Acupunturalmente falando, o corpo humano se divide em três partes: superior, media e inferior. Os pontos que estão no tórax e na região escapular (na parte superior do corpo) são usados nas enfermidades do coração e pulmão, os pontos que se encontram na parte superior do abdome e na parte inferior das costas (na parte medial do corpo) são indicados para as enfermidades do fígado, vesícula biliar, baço e estômago, os pontos que estão situados no abdome inferior e na região lombossacral (parte inferior do corpo) são usados para tratar os transtornos dos rins, intestinos e bexiga. Os pontos que se localizam na cabeça, face e pescoço, assim como os que se encontram nos canais Ren e Du, devido a suas localizações específicas, não somente tratam as enfermidades dos órgãos que cercam esses pontos como também os transtornos de todo o corpo.

3
Indicações dos pontos que estão na cabeça, face e tronco