Acupuntura para o Tratamento de Doenças Cardiovasculares: Uma Revisão Sistemática

man-having-heart-attack

Um bom estudo de Pimentel et.al, da Universidade Federal do Rio de Janeiro publicado na Journal of Acupuncture and Meridian Studies, sobre a Acupuntura no tratamento das Doenças Cardiovasculares.

Só não coloco na categoria dos ótimos por ter excluído de sua base os artigos em idioma da terra mãe da Acupuntura (29 artigos), onde são realizados os estudos mais importante e coerentes (não sendo uma regra), e muito já falei sobre isso e até a dificuldade de incorporar a China, Japão ou Coreia nos estudos sobre Acupuntura. Nenhuma dificuldade no idioma justifica tal fato, até porque a qualidade do estudo se baseia nisso, deve se basear nisso, tudo o que sabemos de Acupuntura veio da China ou do Japão e exclui-los da base de dados é um erro inquestionável (desculpe a dureza).


Acupuncture for the Treatment of Cardiovascular Diseases: A Systematic Review

Introdução

A Organização Mundial de Saúde estima que 17,5 milhões de pessoas morreram de doenças cardiovasculares (DCV) em 2012, representando 31% de todas as mortes no mundo. A doença arterial coronariana (DAC) é a principal causa de morte, seguida por doença vascular cerebral. Juntos, ambos são responsáveis ​​por 7,4 e 6,7 milhões de mortes, respectivamente. O número global de mortes causadas por DCV aumentou 12,5% durante a última década; nas últimas duas décadas, a prevalência de DCVs tem sido particularmente alta em países de baixa e média renda, que respondem por 80% das mortes causadas por DCV. O custo anual estimado de intervenções para prevenção e tratamento de doenças cardiovasculares nesses países é pouco superior a US $ 8 bilhões. No Brasil, estima-se que aproximadamente US $ 3,2 bilhões foram gastos no setor de saúde com custos diretos para casos de DCV grave em 2004; Combinado com o custo indireto de aposentadorias e benefícios de incapacidade incorridos pelas CVDs, o efeito sobre a economia foi de cerca de US $ 12 bilhões.

Heart checkup

O cenário descrito acima favorece a aplicação de terapias inovadoras e de baixo custo, como a maioria das terapias alternativas e complementares, para tratamento e prevenção de DCV. Métodos de medicina tradicional, incluindo acupuntura, eletroacupuntura (EA) e estimulação de pontos de acupuntura elétrica transcutânea (TEAS), têm sido cada vez mais adotados por profissionais de saúde, apesar da falta de evidências sobre seus efeitos sobre DCV.

A acupuntura é um método terapêutico tradicional da Ásia Oriental, que remonta a mais de 2000 anos. Baseia-se na estimulação neural periférica pela introdução de agulhas em regiões específicas da superfície do corpo, chamadas pontos de acupuntura ou acupontos, com a intenção de promover mudanças orgânicas e funcionais para fins terapêuticos ou simples neuromodulação. A comunidade científica ocidental vem estudando a eficácia da acupuntura e seus mecanismos fisiológicos de ação no alívio da dor, revelando ser um poderoso modo de estimulação sensorial. Recentemente, o número de estudos publicados sobre os efeitos da acupuntura em um amplo espectro de patologias e etiologias, como infecção, inflamação, disfunção do sistema nervoso autônomo, periférico e central, distúrbios metabólicos e DCVs aumentou.

EA é um método de acupuntura em que os acupontos são estimulados por uma corrente elétrica pulsante aplicada através de agulhas metálicas de um dispositivo de eletroestimulação. Uma das principais vantagens do EA, do ponto de vista clínico ou de pesquisa, é sua capacidade de definir a intensidade de maneira objetiva e quantificável, alterando a amplitude da onda e a freqüência.

Estimulação de pontos de acupuntura elétrica transcutânea (TEAS) é outro método de acupuntura. Baseia-se na aplicação de uma corrente elétrica pulsante na superfície da pele, acima das regiões correspondentes aos acupontos, usando eletrodos. Estudos realizados com ratos demonstraram que a eficácia e os mecanismos da resposta analgésica induzida pelo TEAS são semelhantes aos induzidos pelo EA e pela acupuntura. Além disso, foi demonstrado que a estimulação eléctrica em um ponto de acupunctura com a utilização de eléctrodos pode atingir tecidos profundos e induzir os efeitos pretendidos, sem a necessidade de agulhas, deste modo, reduzindo intercorrências causadas por agulhas, tais como desconforto por perfuração , risco de futuras infecções e argiria localizada.

Atualmente, os efeitos da acupuntura, EA e TEAS para o tratamento de DCVs ainda são pouco conhecidos, e a maioria de seus mecanismos ainda não foram completamente elucidados. Assim, o objetivo do presente estudo foi revisar a literatura sobre os efeitos da acupuntura, EA e TEAS nas DCVs.

Métodos

Esta revisão sistemática seguiu as recomendações dos Itens de Relatórios Preferenciais para Revisões Sistemáticas e Meta-Análises, bem como o tutorial para a escrita de revisões sistemáticas.

Realizamos buscas bibliográficas nas bases de dados PubMed, SciELO e PEDro, utilizando combinações concomitantes e alternadas dos seguintes descritores em inglês: “acupuntura”, “eletroestimulação” e “eletroacupuntura” com “hipertensão”, “doença cardiovascular”, “artéria coronária”. “E” coração “como Medical Subject Headings (MeSH, http: // http://www.nlm.nih.gov/mesh/meshhome.html); e os seguintes são os descritores portugueses: “acupuntura”, “eletroestimulação” e “eletroacupuntura” com “hipertensão”, “doenças cardiovasculares”, “doença coronariana” e “válvula cardíaca”. Dois revisores extraíram os dados independentemente. Ensaios clínicos publicados entre janeiro de 1997 e setembro de 2017, em inglês ou português, que forneceram o texto completo nas bases de dados mencionadas e indicaram resultados quanto à associação de uma das técnicas relevantes para tratamento e/ou prevenção de DCV, foram incluídos neste estudo. Revisões, estudos observacionais e experimentais usando modelos animais foram excluídos do estudo.

A qualidade metodológica dos estudos foi analisada com base no escore da escala Physiotherapy Evidence Database fornecida no banco de dados do PEDro (Tabela 1). Esta análise foi realizada de forma independente por dois avaliadores, e os desacordos foram resolvidos por discussão e consenso. Se um estudo selecionado não foi pontuado nesta base de dados, os autores o classificaram usando a versão da escala portuguesa (brasileira).

Sem título1
TABELA 1: Escala da PEDro

Resultados

Foram selecionados 506 artigos, dos quais 120 foram excluídos com base na data de publicação, 316 foram excluídos por não serem ensaios clínicos, 37 foram excluídos por não estarem disponíveis em inglês ou português (29 em chinês, 2 em espanhol, 2 em alemão, 1 em russo, 1 em japonês, 1 em coreano e 1 em persa) e 16 foram excluídos por não associar diretamente uma das técnicas com pelo menos uma DCV. Finalmente, 17 estudos foram incluídos na presente revisão (fig. 1) e estão resumidos na Tabela 2.

Sem título2
Diagrama de fluxo PRISMA. PRISMA, Preferred Reporting Items para Revisões Sistemáticas e Meta-Análises.

Sem título 21Sem título 22

Sem título 23
C = indivíduos do grupo controle; P = indivíduos no grupo placebo; T = indivíduos no grupo tratado; R = indivíduos no grupo de referência; LN = método de deixar a agulha; SPM = método de Sparrow Pecking (bicar de pardal).
Na análise da variabilidade da freqüência cardíaca, a HF tem uma grande correlação com a modulação parassimpática da freqüência cardíaca, enquanto a LF está relacionada à modulação simpática.

Discussão

Nos estudos analisados ​​nesta revisão, o acuponto mais utilizado entre as diferentes técnicas foi o acuponto PC6 (Neiguan) (10 estudos, 64,7%), seguido pelo acuponto E36 (6 estudos, 35,3%) e acupontos auriculares. (4 estudos, 23,5%). O uso simultâneo de acupontos PC6 e E36 também foi observado em cinco estudos clínicos para o tratamento da hipertensão. Anatomicamente, o coração é inervado pelos segmentos inferiores do nervo torácico e cervical superior, que também inervam a área somática ao redor do acuponto PC6. Além disso, o acuponto PC6 localiza-se na superfície do antebraço em região correspondente ao trajeto anatômico do nervo mediano, o que pode corroborar a relação entre o estímulo pontual e as alterações fisiológicas observadas no sistema cardiovascular.

Dentre as DCV, às quais as técnicas analisadas foram aplicadas clinicamente, a mais comum foi a hipertensão, totalizando 10 estudos. Destes, nove estavam relacionados à acupuntura e apenas um à EA, com 80% relatando resultados positivos na modulação da doença através da redução da pressão arterial (PA). Abdi et al realizaram um ensaio clínico randomizado duplo-cego controlado, no qual pacientes obesos e hipertensos (não recebendo terapia medicamentosa) foram submetidos à acupuntura auricular ou EA abdominal, em Tianshu (E25), Weidao (VB28), Zhongwan (VC12), Acupontos de Shuifen (VC9), Guanyuan (VC4) e Sanyinjiao (BP6), durante 6 semanas, mostrando uma diminuição mais expressiva na pressão arterial sistólica (PAS) e na pressão arterial diastólica (PAD) por EA abdominal em comparação à acupuntura auricular. Em um ensaio clínico randomizado, cego para avaliadores e para estatístico, conduzido por Liu et al, 15 pacientes hipertensos moderados primários foram submetidos à acupuntura nos pontos de acupuntura IG11, BP4, E36, F3 e PC6 duas vezes por semana durante 8 semanas; uma redução foi observada na PAD, mas não na PAS, apesar da melhora observada no tônus ​​parassimpático. Yin et al, em outro ensaio clínico duplo-cego randomizado controlado, submeteram 21 pacientes hipertensos ou pré-hipertensos por 8 semanas de tratamento com acupuntura em vários acupontos, incluindo E36 e PC6, observando uma diminuição da PAS e PAD ao final de 17 sessões de tratamento em comparação com o grupo de acupuntura sham. Curiosamente, em um estudo, cego para os participantes e para estatísticos, realizado por Li et al., 65 pacientes hipertensos moderados (não recebendo medicação anti-hipertensiva) foram tratados com EA em PC5, PC6, E36 e E37 uma vez por semana durante 8 semanas, evidenciando uma redução na PAS e PAD, acompanhada por uma redução significativa na norepinefrina plasmática e níveis de renina no final do seguimento, sugerindo uma modulação fisiológica pela EA. Severcan et al relataram um aumento na concentração plasmática de óxido nítrico (NO) com uma diminuição na PAS e PAD observada após 10 semanas de tratamento de pacientes hipertensos com acupuntura em EXTRA 3 (Yintang), R3, F3, BP9, IG4 Pontos de acupuntura, C7, E36 e BP6. O NO é um potente vasodilatador produzido nas células endoteliais vasculares pela conversão do aminoácido arginina em citrulina, pela ação enzimática da NO sintase e desempenha um papel anti-hipertensivo crítico na homeostase da PA. EA, também, inibe o estímulo simpático, regulando a expressão de NO sintase no sistema nervoso central. O efeito depressor da EA sobre a PA ocorre principalmente pela vasodilatação dos vasos mesentéricos causada pela inibição do tônus ​​simpático, responsável pela vasoconstrição.

Ao contrário dos estudos acima, Yeh et al, em um ensaio clínico randomizado, não observaram efeitos na PA e no equilíbrio simpático-vagal após 10 semanas de acupuntura auricular para o tratamento de pacientes com hipertensão primária. Além disso, Jiang, em um estudo controlado randomizado com 60 pacientes hipertensos, tratou o grupo de intervenção diariamente com acupuntura nos acupontos IG11 (Quchi), E40 (Fenglong) e F3 (Taichong) por 30 minutos, durante 6 dias, não observando diferenças na PA entre os grupos intervenção e controle após o seguimento. Isso pode ser explicado pelo fato de alguns pacientes serem, geralmente, de baixa resposta à acupuntura para redução da PA, evidenciando a necessidade de compreensão dos mecanismos envolvidos para uma prescrição mais precisa da acupuntura com esse objetivo.

download

A DAC foi outra importante aplicação da acupuntura entre as DCVs, observada em cinco estudos. Zamotrinsky et al, em um estudo controlado randomizado, submeteram 10 pacientes com DAC com incapacidade de realizar qualquer atividade sem angina ou angina em repouso para AA auricular.

Após 10 procedimentos, o AE exerceu um efeito vagotônico/simpaticolítico com uma diminuição do limiar de angina, com os pacientes não mais desenvolvendo angina em repouso ou após uma carga física moderada. Além disso, a dependência do tratamento com vasodilatadores diminuiu consideravelmente. Além disso, a EA melhorou as proteínas induzidas pelo estresse, como a proteína de choque térmico (HSP70i), que participa na eliminação de proteínas danificadas ou defeituosas, inibindo diretamente a apoptose.

Curiosamente, Wang et al mostraram, em um estudo randomizado controlado com 60 pacientes, que 30 minutos de EA administrada no acuponto PC6 antes da cirurgia de troca valvar cardíaca leva à cardioproteção, evidenciada por níveis séricos pós-operatórios reduzidos de troponina I cardíaca, marcador crítico de lesão miocárdica, menor uso de drogas inotrópicas e menor tempo de permanência na unidade de terapia intensiva. A ação cardioprotetora da EA também foi estudada por Wang et al em um estudo randomizado controlado com 204 pacientes. A AE foi realizada 30 minutos nos pontos de acupuntura Antiguan (PC6) e Ximen (PC4) 1 a 2 horas antes da intervenção coronária percutânea, resultando em uma menor incidência de infarto agudo do miocárdio, melhora na função cardíaca e menos eventos adversos, como súbita morte, arritmias, insuficiência cardíaca, trombose aguda, enfarte do miocárdio e AVC após intervenção coronária percutânea. Ho et al estimularam o acuponto EXTRA-6 de 22 pacientes que tiveram DAC angiograficamente comprovada (> 50% de estenose de diâmetro) por 30 minutos, demonstrando que a acupuntura melhorou a função cardíaca nesses pacientes, mas não nos controles. Embora o anteriormente descrito, Kurono et al demonstraram que em pacientes com angina vasoespástica, a acupuntura no acuponto EXTRA-6 poderia ser deletéria, levando a vasoespasmo da artéria coronária.

Segundo Lomuscio et al, o tratamento com acupuntura nos acupontos PC6, C7 e B15 leva a benefícios semelhantes aos da amiodarona, um agente antiarrítmico que é o fármaco mais eficaz no mundo para o tratamento da fibrilação atrial, reduzindo a recorrência de fibrilação atrial após terapia de cardioversão elétrica. Eletroestimulação transcutânea para isquemia periférica do membro foi estudada por Yilmaz et al, a eletroestimulação do nervo peroneal produziu um aumento substancial na velocidade do sangue na artéria tibial anterior, associada a melhores desfechos clínicos, em termos de maior distância percorrida. Os dois últimos estudos não sugeriram nenhum mecanismo para os efeitos observados.

Em conclusão, esta revisão demonstra que a acupuntura pode ser uma alternativa viável como terapia complementar para DCV, particularmente para hipertensão e DAC. No entanto, a heterogeneidade dos estudos não permite uma padronização de sua aplicação para cada doença específica, tornando necessários novos estudos para que seu uso se torne realidade.


 

Efeito da Estimulação Magnética Transcraniana do Ponto de Acupuntura na Rede cerebral

Olá pessoal, vamos com mais um artigo publicado em Junho de 2017.

Os estudos foram realizados pelo Laboratory of Electromagnetic Field and Electrical Apparatus Reliability, Hebei University of Technology, Tianjin China, onde foi usado Estimulação Magnética Transcranial como estímulo no ponto Shenmen corporeo (C7) e medido atraves de Eletroencefalografia (EEG).

HT7 (1)

O ponto C7 (HT7) é usado na Acupuntura para tratamentos neurológicos (irritabilidade, transtornos mentais, epilepsia, memória ruim, palpitação, histeria, insonia, etc), o ponto se localiza na borda posterior do pisiforme, no lado radial do tendão do músculo flexor ulnar do carpo, é o ponto shu corrégo e yuan fonte do meridiano do Coração.

Effect of Transcranial Magnetic Stimulation of Acupuncture Point
DOI 10.1109/TMAG.2017.2717458

INTRODUÇÃO

A Estimulação Magnética Transcraneal (TMS) como técnica de neuroestimulação e neuromodulação foi considerada uma terapia promissora não invasiva para uma variedade de condições neuropsiquiátricas. A última década testemunhou um rápido aumento nas aplicações de TMS para estimular áreas motoras, nervos periféricos e pontos de acupuntura (acupoints). A acupuntura, como uma terapia médica antiga, que tem sido usada para várias doenças, está ganhando popularidade como uma “alternativa” ou “terapia complementar” em mais e mais países. No entanto, o mecanismo de regulação subjacente da acupuntura não foi bem compreendido e ainda precisa ser investigado mais a fundo. Além disso, o método tradicional de acupuntura de mãos nua tem suas próprias limitações, como nenhum critério objetivo para quantificar a operação dos acupuntores e a sensação dos sujeitos. O TMS com parâmetros ajustáveis ​​compensará a deficiência. A combinação de TMS e acupuntura não só fornece novos conteúdos para a promoção e aplicação de TMS, mas também contribui para desmitificar a Medicina Tradicional Chinesa. Além disso, a integração de TMS e eletroencefalografia (EEG) é um método valioso para estimular diretamente a excitabilidade, a conectividade e a dinâmica oscilatória de regiões em todo o cérebro.

HT7

A transmissão de informações EEG existe entre canais de acordo com a teoria da informação. A análise complexa da rede como uma ferramenta importante para a rede da vida real nos oferece outro método novo e bom para estudar a conectividade cerebral. Portanto, os desenvolvimentos recentes na análise de sinais de EEG foram rapidamente transferidos para redes de cérebro. Numerosos estudos indicaram que a reconstrução da conectividade funcional do cérebro, com base em sinais de EEG multicanal gravados, poderiam esclarecer os mecanismos fisiológicos subjacentes ao tratamento de acupuntura.

De acordo com a medicina tradicional chinesa, entre muitos acupunturistas, a acupuntura no acupoint de Shenmen (C7) tem um efeito terapêutico considerável nas doenças neurológicas, como a insônia. No entanto, poucos estudos de neuroimagem elucidaram o mecanismo de regulação da estimulação do acupoint C7 na perspectiva da rede complexa. Neste artigo, combinamos as medidas de TMS, EEG, acupuntura e rede, sinais de EEG adquiridos de forma não invasiva antes e após TPO do ponto de acupuntura C7. Em seguida, a rede funcional do cérebro foi construída e as medidas de rede foram calculadas. Finalmente, tentamos, na perspectiva da rede complexa, revelar o mecanismo subjacente do TMS de acupoint.

RESULTADOS

Quando há significância estatística de correlação cruzada entre a estimulação anterior e posterior, o valor correspondente na matriz é definido como 1, senão é definido como 0. A conexão de 121 pares tem diferenças significativas a partir do total de conexão de 1830 pares, e essas conexões estão localizadas principalmente no lobo parietal e no lobo occipital (regiões do couro cabeludo posterior). Considerando que não há diferenças estatísticas entre as conexões localizadas nas regiões do couro cabeludo anterior, exceto por poucos nós. Os resultados da análise estatística sobre medidas de rede mostram que o grau do nó e a força do nó reduzem significativamente nos nódulos do lobo parietal e nos lobos occipitais (p. Ex., P4: p = 0,040 e PO6: p = 0,017) e aumento da centralidade entre o lobo frontal (por exemplo, FC6: p = 0,044). Para mostrar os resultados visualmente, as BIM baseadas no grau médio do nó, na força média do nó e na centralidade média da rede cerebral antes e após a estimulação do acupoint C7 foram mostradas nas Figuras 5 a 7, respectivamente.

fig 5

A Fig. 5 e a Fig. 6 mostram que os graus dos nós e as forças dos nós aumentam significativamente nos nós do lóbulo parietal e os lobos occipitais, comparando Fig. 5 (a) e Fig. 5 (b), Fig. 6 (a) e Fig. 6 (B), respectivamente. O lóbulo frontal e as regiões do cérebro central compartilham maior centralidade de comparação comparando a Fig.7 (a) e a Fig.7 (b). Não há significância estatística em nenhum nó para eficiência.

DISCUSSÃO

Neste trabalho, a análise estatística da conexão cerebral mostra que o TMS influencia principalmente a conexão cerebral das regiões do couro cabeludo posterior. A conexão funcional refere-se à avaliação, utilizando medidas fisiológicas, de correlações dependentes do tempo entre os sinais: os sistemas neurais que disparam juntos são presumidos para serem conectados (e trabalhando) juntos. As mudanças demonstram que o TMS influencia as atividades de descarga síncrona das regiões posteriores do couro cabeludo. Isso indica que o TMS do ponto de acupuntura C7 modula significativamente a atividade funcional do cérebro e influencia a transmissão da informação entre o lobo parietal e o lobo occipital. Ao desenhar o BIM, os valores de grau e força diminuem notavelmente nas regiões do parietal e parietal-occipital do cérebro. Especificamente, um nó com baixo grau não faz muitas conexões e um nó com baixa resistência faz densidade ou peso fraco. O lobo occipital processa a informação visual, enquanto o lobo parietal processa a informação sensorial. Estes diminui consideravelmente reflete conexões inibitórias no sistema sensorial e no sistema visual após a estimulação. Além disso, as diminuições verificam novamente os efeitos inibitórios do TMS de baixa freqüência na atividade neuronal. As BIMs também mostram que a centralidade da interação aumenta no lóbulo frontal e nas regiões do cérebro central, comparando a Fig. 7 (a) e a Fig. 7 (b). A centralidade da unidade capta quantos os caminhos mais curtos entre outras partes da rede passam por um determinado nó, o que expressa seu papel importante na integração da informação. Os aumentos de centralidade entre os nódulos do lobo frontal e os nódulos do couro cabeludo central demonstram que essas regiões do cérebro desempenham um papel mais importante nas trocas de informações após a estimulação do que antes da estimulação.
De acordo com a Medicina Tradicional Chinesa, o C7 está relacionado às doenças neurológicas, como a insônia. Após a estimulação do acupoint C7, algumas conexões do córtex cerebral e medidas de rede mudaram. Pode ter relações com os efeitos do TMS de C7 acupoint. A partir da variação regularidade das medidas fundamentais do núcleo, nossos resultados, por um lado, confirmaram novamente a eficácia do TMS de acupoint, por outro lado, podem revelar os mecanismos de regulação do C7 na perspectiva da rede complexa.

2017-07-06 (5)

CONCLUSÃO

O trabalho investigou o efeito e o mecanismo de regulação da estimulação magnética do acupoint transcutâneo e revelou o mecanismo do TMS do ponto de acupuntura C7 na perspectiva da rede complexa. O grau de nó e a força do nó reduzem significativamente os nódulos do lobo parietal e os lobos occipitais e o aumento da centralidade entre o lobo frontal. Os resultados indicaram que a acupuntura pode modular significativamente a atividade funcional do cérebro e influenciar a transmissão da informação no lobo parietal e no lobo occipital. Os resultados obtidos podem facilitar a nossa compreensão da acupuntura na função cerebral e ser úteis para a compreensão dos mecanismos de regulação subjacentes do TMS de C7.

DOI 10.1109/TMAG.2017.2717458

NOTA
A Acupuntura mesmo após milenios continua a intrigar nós estudiosos e cada vez mais entrando no espaço das pesquisas que tendem a provar a efetividade dos pontos, das estimulações em números e quantificar essas ações. Mas nós Acupunturistas presenciamos a mudança no estado do paciente, da pessoa, é nítida, é facilmente visivel, Acupuntura é VIDA…e também comprovada cientificamente.

Diferenciação das síndromes de acordo com os Zang-Fu (Fogo)

Optei por dividir as síndromes zangfu por etapa, agora vamos tratar dos órgãos do elemento fogo e assim por diante. Lembrando que em caso de dúvida e sugestões podem colocar nos comentários. Vamos dar um passeio pelas síndromes do coração, que é a base do Fogo.

Diferenciar as enfermidades de acordo com a teoria zangfu significa distinguir as enfermidades dos órgãos observando suas condições fisiológicas como base, porque cada um deles tem diferentes funções fisiológicas. Quando um órgão zang ou fu não funciona normalmente sua desordem funcional pode afetar a ele mesmo, mas também pode afetar ou ser afetado por outros órgãos.

Já falamos também sobre outros elementos:
Água
Metal
Madeira
Terra

SÍNDROMES DO CORAÇÃO

Deficiência de qi (energia vital) do coração e deficiência do yang do coração

Manifestações Clínicas

Tabla 9
Deficiência do qi do coração e deficiência do yang do coração

Etiologia e patologia

Esta síndrome ocorre devido à deficiência de qi do coração, a influencia patológica de outros órgãos enfermos, a sudorese profusa ou outras causas que lesionam o qi (energia) e xue (sangue).
O coração controla o sangue e o sistema vascular, sua deficiência conduz a deficiência de qi (energia vital) e da circulação sanguínea, o qual origina dispneia e palpitação. A deficiência de yang e de energia wei (weiqi) conduz a sudorese espontânea. A língua, que reflete o estado do coração, se encontra pálida e flácida nesse caso, e o pulso é fraco. A deficiência de yang do coração provoca estase de sangue (xue) e de energia (qi) no tórax, no qual ocasiona sensação de opressão torácica e pulso intermitente. O frio é um sintoma de deficiência de yang, que se manifesta por calafrios e com extremidades frias. A deficiência de yang do coração provoca a sudorese profusa, confusão mental ou perda de consciência e pulso fraco.

Deficiência de xue (sangue) e deficiência de yin do coração

Manifestações clínicas

Tabla 10
Deficiência de xue (sangue) e deficiência de yin do coração

Etiologia e patologia

Esta síndrome ocorre por uma deficiência na produção de sangue ou a uma perda severa por hemorragia puerperal, metrorragia e traumatismos. O cansaço excessivo também prejudica o yin e sangue do coração. Seus sintomas são astenia, neuroses, anemia.

O medo, a insônia e a memoria ruim ocorrem devido à deficiência de sangue e yin. A vertigem e a tontura ocorrem porque o sangue não consegue subir. A deficiência de sangue produz um pulso filiforme e fraco. Quando o yin está debilitado, aumenta o yang e como consequência produz febre, sudorese noturna, sensação de calor nas mãos, nos pés e no peito, a língua fica vermelha e o pulso rápido.

Estase de sangue no coração

Manifestações clínicas

Dor intensa na região precordial e sensação de sufocação, dor ao longo do braço esquerdo, palpitação e inquietude. Em casos severos, cianose na face, nos lábios e nas unhas, extremidades frias, língua de cor roxa ou com manchas roxas, pulso filiforme e fraco.

Etiologia e patologia

Esta síndrome é motivada pela deficiência de yang do coração que não consegue dirigir bem a circulação do sangue. Também os fatores emocionais, cansaço excessivo, invasão de frio ou acumulação de fleuma que obstrui a circulação sanguínea (angina o peito, infarto do miocárdio). A palpitação ocorre pela obstrução do yang no tórax que detém o fluxo de sangue e de qi. Como seu canal corre ao longo do braço, isto explica a dor nesta região. A cianose ocorre por causa da estase sanguínea.

fire-heart-digital-art-image-2048x1152

Hiperatividade de fogo do coração

Manifestações clínicas

Dor na ponta da língua, úlcera bucal, boca amarga, irritabilidade, insônia, sede, rubor facial, hematêmese, epistaxe, língua vermelha, pulso rápido, sensação de arder ao urinar ou hematúria.

Etiologia e patologia

Esta síndrome ocorre devido a fatores  emocionais ou aos fatores patógenos exógenos que se transformam em fogo ou a uma ingestão exacerbada de alimentos picantes ou condimentados. Se o fogo do coração chega ao intestino delgado, há a sensação de ardor ao urinar ou hematúria. A úlcera na língua, a sede e a insônia ocorrem devido à ascensão do fogo do coração.

Obsse

Fleuma-fogo no coração

Manifestações clínicas

  • Nos casos de fleuma-fogo por estagnação da umidade – transtorno mental, histeria, epilepsia, esquizofrenia ou come devido a acidente vascular cerebral (AVC).
  • Nos casos de fleuma no coração – transtorno mental, sonolência, apatia, catatonia (em casos severos se perde a consciência), pulso escorregadio, língua com saburra branca.
  • Os sintomas de fleuma-fogo que invadem o coração – Irritabilidade, palpitação, sabor amargo na boca, insônia, pesadelos, fala incoerente, choro ou risos sem motivos, tentativas de luta, pulso escorregadio e rápido, língua amarela.

Etiologia e patologia

As fleumas-fogo se originam da umidade e resultam na estagnação de qi devido à excitação mental, depressão mental e a obsessão. Também podem ser originados por hiperatividade do fígado ou por estagnação da umidade.

O coração controla o espirito e a mente, e se estiver alterado atrapalha suas funções. O fogo excessivo do fígado da origem a fleumas-fogo, quando ele ascende, afeta a mente e provoca transtorno mental, língua amarela e pulso rápido. Uma língua com saburra pegajosa e um pulso escorregadio são sintomas de obstrução por fleumas no coração. Se o calor invade o pericárdio aparece à febre alta, coma e delírio.

3774720793_b4253b8331_b

SÍNDROMES DO PERICARDIO

As síndromes do pericárdio são consideradas clinicamente como uma invasão de calor ao pericárdio.

Suas manifestações principais são: febre elevada, coma e delírios devidos a penetração profunda de calor patógeno no interior causando distúrbios na mente. O mesmo que ocorre na fleuma-fogo no coração.

SÍNDROMES DO INTESTINO DELGADO

Os transtornos da função do intestino delgado na digestão e absorção são incluídos geralmente nas disfunções de baço de transportar e transformar. No mais, há uma síndrome conhecida como “o calor do coração se move em direção ao intestino delgado”. Suas manifestações clínicas são as mesmas da síndrome de hiperatividade do fogo do coração.